quarta-feira, 25 de julho de 2007

V de Vingança







Gênero: Ação - Drama - Sci-Fi - Thriller
Duração: 132 min
Origem: EUA
Estréia - EUA: 17 de Março de 2006
Estréia - Brasil: 07 de Abril de 2006
Estúdio: Warner Bros.
Direção: James McTeigue
Roteiro: Andy Wachowski, Larry Wachowski
Produção: Andy Wachowski, Larry Wachowski, Joel Silver, Grant Hill



Ambientado na paisagem futurista da Bretanha totalitária, V de Vingança conta a história de uma jovem da classe trabalhadora, Evey (Natalie Portman), que é salva de uma situação de vida ou morte por um homem mascarado conhecido apenas como “V” (Hugo Weaving). Profundamente complexo, V é ao mesmo tempo interessado em literatura, sofisticado, delicado e intelectual, um homem dedicado a libertar seus concidadãos dos que os aterrorizam. Mas ele também é amargo, vingativo, solitário e violento, motivado por uma vingança pessoal, uma vendetta. Em sua luta para libertar o povo da Inglaterra da corrupção e da crueldade que envenenaram o governo, codinome V condena a natureza tirânica dos líderes e convida os cidadãos a se juntarem a ele próprio no dia 5 de novembro, o Dia de Guy Fawkes. Nesse dia, em 1605, Guy Fawkes foi descoberto num túnel sob o Parlamento com 36 bananas de dinamite. Juntamente com outros conspiradores, ele engendrou o vingativo “Plano da Dinamite” contra a tirania do governo de James I. Fawkes e os outros sabotadores foram enforcados, arrastados e esquartejados, e jamais concretizaram seu plano. Imbuído do espírito de rebelião, em lembrança àquele dia, V jura realizar o plano pelo qual Fawkes foi executado em 5 de novembro de 1605: vai explodir o Parlamento. Quando Evey descobre a verdade sobre o misterioso passado de V, também descobre a verdade sobre ela mesma e torna-se uma improvável cúmplice no plano para iniciar uma revolução, trazendo de volta liberdade e justiça para uma sociedade repleta de crueldade e corrupção.















































.

V: Voilà! In view, a humble vaudevillian veteran, cast vicariously as both victim and villain by the vicissitudes of fate. This visage, no mere veneer of vanity, is a vestige of the vox populi, now vacant, vanished. However, this valorous visitation of a bygone vexation stands vivified, and has vowed to vanquish these venal and virulent vermin vanguarding vice and vouchsafing the violently vicious and voracious violation of volition. The only verdict is vengeance; a vendetta held as a votive, not in vain, for the value and veracity of such shall one day vindicate the vigilant and the virtuous. Verily, this vichyssoise of verbiage veers most verbose, so let me simply add that it's my very good honor to meet you and you may call me V.



V: Voilà! À vista, um humilde veterano vaudevilliano, apresentado vicariamente como ambos vítima e vilão pelas vicissitudes do Destino. Esta visagem, não mero verniz da vaidade, é ela vestígio da vox populi, agora vacante, vanescida, enquanto a voz vital da verossimilhança agora venera aquilo que uma vez vilificaram. Entretanto, esta valorosa visitação de uma antiga vexação, permanece vivificada, e há votado por vaporizar estes venais e virulentos verminados vanguardeiros vícios e favorecer a violentamente viciosa e voraciosa violação da volição. O único veredito é a vingança, uma vendeta, mantida votiva, não em vão, pelo valor e veracidade dos quais um dia deverão vindicar os vigilantes e os virtuosos. Verdadeiramente, esta vivída verbosidade virá mais verbose, só quero dizer que é uma honra conhecê-la e você pode me chamar de V.



.



V: I, like God, do not play with dice and do not believe in coincidence.
V: Eu, como Deus, não jogo dados e não acredito em coincidência.



.




V: Remember, remember
The fifth of November
The gunpowder treason and plot
I know of no reason why the gunpowder treason
Should ever be forgot.

V: Lembrai, lembrai
Do cinco de novembro
A pólvora, a traição, o ardil
Por isso não vejo como esquecer
Uma conspiração tão vil


.


V: People should not be afraid of their government, the government should be afraid of their people.
V: O povo não deveria ter medo de seu governo, o governo deveria ter medo de seu povo.


.


V: "Vi veri veniversum vivus vici!" (Fausto)
V: "Pelo poder da verdade, enquanto vivo, eu conquistei o universo!" (Fausto)


.


V: A revolution without dancing, is a revolution not worth having.
V: Uma revolução sem dança, é uma revolução pela qual não se vale a pena lutar.


.


V: "I dare do all that may become a man; who dares do more is none." (Macbeth)
V: "Eu ouso tudo que convém a um homem. Não o é quem ousa mais." (Macbeth)


.


V: "Conceal me what I am and be my aid, for such disguise, as happily, shall become the form of my intent. " (Viola)
V: "Esconda-me e seja meu ajudante, pois tal disfarce, com sorte, tomará a forma do meu propósito." (Viola)


.


V: There are no coincidences, Delia. Only the illusion of coincidence.
V: Não existem coincidências, Délia. Apenas a ilusão de coincidência.


.


Evey: He cared more about revenge than he did about her.
Evey: Ele importava-se mais com a vingança do que importava-se com ela.


.


Evey: Artists uses lies to tell the truth, while policitians uses them to cover the truth up.
Evey: Artistas usam mentiras para contar a verdade, enquanto políticos as usam para encobrir a verdade.


.


Inspector Finch: One thing is true of all governments: the most reliable records are tax records.
Inspetor Finch: Uma coisa é verdade sobre todos os governos: os registros mais confiáveis são os dos impostos.


.



Gordon: The truth is, after so many years, you wear the mask for so long, you forget who you were beneath it.
Gordon: A verdade é que, depois de tantos anos, você usa a máscara por tanto tempo, que esquece de quem era por baixo dela.


.


Valerie: I shall die here. Every inch of me shall perish, every inch but one. An inch, it is small and it is fragile, and it is the only thing in the world worth having. We must never lose it or give it away; we must never let them take it from us. I hope that whoever you are, you escape this place. I hope that the world turns and that things get better. But what I hope most of all is that you understand what I mean when I tell you that even though I do not know you and even though I may never meet you, laugh with you, cry with you, or kiss you, I love you. With all my heart, I love you.


Valerie: Eu morrerei aqui. Cada pedaço de mim perecerá, cada pedaço menos um. Um pedaço, que é pequeno e frágil, é a única coisa no mundo pela qual vale a pena ter. Não devemos nunca perdê-lo ou jogá-lo fora; não devemos nunca deixar que o tomem de nós. Eu espero que quem quer que seja, você escape deste lugar. Eu espero que o mundo mude e que as coisas fiquem melhores. Mas o que eu espero mais do que tudo é que você entenda o que quero dizer quando digo que mesmo sem jamais conhecer você, sem jamais encontrar você, rir com você, chorar com você, ou beijar você, eu te amo. De todo o meu coração, eu te amo.


.


Mr. Creedy: Why won't you die? Why won't you die?
Sr. Creedy: Por que você não morre? Por que você não morre?

V: Beneath this mask there is more than flesh. Beneath this mask there is an idea, Mr. Creedy. And ideas are bulletproof.
V: Debaixo desta máscara há mais do que carne. Debaixo desta máscara há uma idéia, Sr. Creedy. E idéias são à prova de balas.


.


Inspector Finch: Who was he?
Inspetor Finch: Quem era ele?

Evey: He was Edmond Dantés, and he was my father, and my mother. My brother, my friend. He was you and me. He was all of us! No one will ever be forget that night and what it meant for this country, but I will never forget the man and what he meant to me.
Evey: Ele era Edmond Dantes, e ele era meu pai e minha mãe. Meu irmão, meu amigo. Ele era você e eu. Ele era todos nós! Ninguém jamais esquecerá aquela noite e o que aquilo significou para este país, mas eu nunca esquecerei o homem e o que ele significou para mim.

.

Com um roteiro muito bem desenvolvido pelos irmãos Wachowski e uma direção primorosa do estreante James McTeigue, “V de Vingança” é uma adaptação de HQ que consegue ir além do quesito diversão, e apresenta o thriller de ação mais inteligente do ano até agora. Nada de heroísmos e ação gratuita. “V de Vingança” é um filme político, mas com aquela pitada hollywodiana.

Quem não conhece a HQ, e vê nos materiais de divulgação todo aquele clima dark e um homem usando capa e máscara, logo pensa se tratar de mais uma história de super-herói que chega para fazer número às salas de exibição. Mas o grande mérito de “V de Vingança” é exatamente por fugir desse padrão. V é um homem de ideais libertários que luta para abrir os olhos do povo e sonha em consolidar uma pátria justa; ele é um verdadeiro revolucionário, é considerado um ser perigoso para a classe dominante desse sistema. Ele é o herói, o impiedoso, um pouco de todos nós.

Enfim, “V de Vingança”, independente do fardo de ser uma adaptação, funciona muito bem como filme. Consegue se distanciar do lugar comum e vai muito além da diversão acéfala a que estamos acostumados. Bem dirigido, com uma história envolvente, é mais uma amostra da eficácia dos irmãos Wachowski. Não é um filme perfeito, mas é excelente. Vale salientar as memoráveis frases do roteiro. Que a partir de um certo momento deixam de ser apenas frases de efeito e, então, tornam-se lições de vida.

3 comentários:

Gabriel disse...

Belo blog!
Adorei o post sobre o V de Vingança!!!

:)

Juli disse...

Como estou sem muito tempo, li o post mais por cima, mas achei muito interessante. Sou apaixonada pelo filme "V de Vingança", este é sem dúvidas o melhor filme que já vi - ou pelo menos um deles. Gostei do blog :)

Luciano Santos disse...

Belíssima lista de filme assistidos. E parabéns pelo blog!